top of page
  • Foto do escritorARCO

Três Romances LGBTQIAP+ que Você Precisa Assistir

O cinema tem se tornado um espaço cada vez mais inclusivo, oferecendo representações mais variadas e autênticas das experiências LGBTQIAP+


Imagem criada por Inteligência Artificial OpenAI's DALL·E. / ARCO

Dentro deste cenário, romances gay têm ganhado destaque, abordando com sensibilidade e profundidade as relações entre pessoas do mesmo sexo. A seguir, apresentamos três filmes que se destacam por suas histórias emocionantes e impactantes, que celebram o amor em suas diversas formas.


Este conteúdo foi produzido por voluntários da Arco, uma ONG que atua para proteger a Comunidade LGBTQIAP+ e Negra. Se puder, faça uma doação a partir de R$ 1,00 (um real) para nos ajudar a continuar nosso trabalho. É só clicar aqui.


1. Me Chame Pelo Seu Nome (Call Me by Your Name) - 2017


Dirigido por Luca Guadagnino, "Me Chame Pelo Seu Nome" é uma adaptação do romance de André Aciman e se passa na Itália dos anos 1980. A história acompanha Elio Perlman (Timothée Chalamet), um jovem de 17 anos que passa o verão com sua família em uma villa no norte da Itália. A chegada de Oliver (Armie Hammer), um estudante de doutorado que vai trabalhar com o pai de Elio, desperta sentimentos inesperados e intensos entre os dois jovens.


A narrativa é construída com uma delicadeza rara, explorando o despertar do amor e da sexualidade de Elio com uma sensibilidade que cativa o público. A cinematografia deslumbrante, a trilha sonora envolvente e as atuações marcantes de Chalamet e Hammer tornam este filme uma obra-prima. "Me Chame Pelo Seu Nome" não só celebra o amor gay, mas também destaca a beleza e a dor do primeiro amor, independentemente da orientação sexual.


2. Moonlight: Sob a Luz do Luar (Moonlight) - 2016


Vencedor do Oscar de Melhor Filme, "Moonlight" é uma obra poderosa dirigida por Barry Jenkins, baseada na peça "In Moonlight Black Boys Look Blue" de Tarell Alvin McCraney. O filme narra a vida de Chiron, um jovem negro que cresce em um bairro violento de Miami, dividido em três capítulos que abordam sua infância, adolescência e vida adulta.


"Moonlight" explora a interseção entre raça, masculinidade e sexualidade de forma profundamente comovente. A relação de Chiron com Kevin, seu amigo de infância, é um dos pontos centrais da trama, mostrando como suas conexões íntimas e afetivas são moldadas e desafiadas pelas pressões sociais e familiares. Com atuações poderosas e uma direção sensível, "Moonlight" é um filme essencial que oferece uma perspectiva rara e necessária sobre as complexidades de ser um homem gay negro na América.


3. O Segredo de Brokeback Mountain (Brokeback Mountain) - 2005


Dirigido por Ang Lee e baseado no conto de Annie Proulx, "O Segredo de Brokeback Mountain" é um clássico moderno do cinema LGBTQIAP+. O filme segue a história de Ennis Del Mar (Heath Ledger) e Jack Twist (Jake Gyllenhaal), dois vaqueiros que desenvolvem uma intensa e complicada relação amorosa enquanto trabalham juntos em Brokeback Mountain, no Wyoming.


Ambientado nos anos 1960 e 1970, o filme explora as dificuldades e os desafios enfrentados pelos protagonistas em uma sociedade que não aceita sua relação. A performance de Ledger e Gyllenhaal é profundamente tocante, capturando a paixão, a dor e a tragédia de um amor que não pode ser plenamente vivido devido ao preconceito e às expectativas sociais. "O Segredo de Brokeback Mountain" é um filme marcante que continua a ressoar com o público, lembrando-nos da importância da aceitação e do amor incondicional.


Não recebemos nenhum apoio fixo de governo ou empresas, nosso trabalho depende totalmente de você. Se puder, faça uma doação a partir de R$ 1,00 (um real) para nos ajudar a continuar nosso trabalho. É só clicar aqui.


Esses três filmes são exemplos poderosos de como o cinema pode abordar romances gay com profundidade, sensibilidade e autenticidade. "Me Chame Pelo Seu Nome", "Moonlight" e "O Segredo de Brokeback Mountain" oferecem narrativas que não apenas celebram o amor entre homens, mas também desafiam preconceitos e ampliam a compreensão sobre as diversas experiências LGBTQIAP+. Assistir a esses filmes é uma maneira de se engajar com histórias que refletem a complexidade e a beleza do amor gay, contribuindo para uma sociedade mais inclusiva e empática.

Comments


bottom of page